11 4551.1128 | 11 9 9567.9430 ou 11 9 8433.4484 mkt@agenciadb.com

Texto de BIBIANA GUARALDI, para Folha de SP

Em qualquer área do mercado, todos almejam o sucesso. Na internet não é diferente. Mas nem sempre atingir o sucesso é sinônimo de chegar ao topo. Entre os produtores de conteúdo iniciantes e as grandes estrelas está um grupo pouco lembrado: a classe média da internet.

“A classe média da internet é aquele pessoal que está no meio do caminho, tem canais bons o suficiente pra se manter, mas não grandes o suficiente para ser destaque”, define o empresário e produtor de conteúdo Pablo Peixoto, 38, autor do texto que inspirou a criação de um painel sobre o tema no youPIX CON, evento que discute os rumos do mercado de conteúdo digital e ocorre nesta quarta-feira (28) em São Paulo.

Pablo_Peixoto

Pablo Peixoto, fundador do canal de entretenimento e cultura pop Qu4tro Coisas

Peixoto é fundador do canal de entretenimento e cultura pop Qu4tro Coisas, definido por ele como “uma espécie de shoptime nerd”, que conta com mais de 160 mil inscritos. Com rendimento mensal que varia de de R$ 5.000 a R$ 10 mil, Peixoto garante que é possível se manter no mercado de produção de conteúdo digital mesmo sem estar sob os holofotes dos grandes youtubers.

“Tratando meu trabalho como empresa, consigo ‘comer pelas beiradas’ e absorver parte desse mercado, que é muito nichado, e atender meus clientes com seriedade e resultado, mesmo sem ser um grande canal”. Está se perguntando se também faz parte desse grupo? Confira os “mandamentos da classe média da internet” listados por Peixoto:

1. Terás visão empresarial – Não é uma brincadeira, como muitos ainda pensam. Se não enxergar como negócio, não consegue sobreviver nessa selva. É preciso correr atrás e tratar o canal como empresa, porque somos mais empresas e menos personalidades – diferente dos grandes, que costumam vender muito mais a personalidade do que o conteúdo.

2. Seguirás o ditado “tempo é dinheiro” – É um trabalho que não pára, além da produção do conteúdo, é pensar o tempo todo no mercado, ver o que está mudando, visitar empresas, agências, fazer contatos, desenvolver logomarca, material de divulgação, mídia kit, etc.

3. Diversificarás – Não dá pra colocar todos os ovos numa cesta só. O produtor de conteúdo da classe média da internet tem que olhar seu produto como negócio, e quando você tem um negócio, diversifica suas possibilidades de ganhar. Por isso é tão importante ter um produto amigável à publicidade, porque é outra fonte de renda, se por algum motivo, o YouTube não pagar por AdSense (sistema de publicidade administrado pelo Google), você ainda recebe do cliente e consegue se manter.

4. Não confiarás cegamente no YouTube – Tem gente começando agora que acha que consegue se manter só com AdSense, mas isso é uma mentira. Os canais maiores já reclamam que não é como antigamente. Se você basear seu modelo de negócios todo em AdSense, caso o YouTube mude o sistema, você e sua empresa quebram. Além disso, nem todos que assinam um canal recebem seus vídeos, pois o algoritmo do YouTube seleciona o que considera que o usuário vai gostar mais, e mostra esses vídeos na página inicial. Então ter uma maneira direta e garantida de falar com seu público é um grande diferencial no trabalho com os clientes.

5. Serás multitarefas – A internet possibilita que você seja dono do sistema de produção do seu conteúdo. Você é funcionário e empresa ao mesmo tempo, então tem que pensar como chefe e trabalhar como funcionário.

6. Segmentarás – Meu canal tem cinco postagens semanais. Mas não sou só eu falando para a câmera, é um mix de entretenimento para vários públicos, com vários tipos diferentes de focos em anunciantes.

7. Terás paciência – Muita gente que está começando trata como brincadeira e quer sucesso rápido, mas isso é como querer ganhar na loteria. Ficar famoso e ganhar dinheiro em um mês, só com muita sorte. Quando alguém explode de repente, tem visibilidade, mas não tem a familiaridade com o público, que não é conquistada tão rápido, fica difícil manter o sucesso. Melhor é construir uma base sólida, mas isso leva tempo – levei quatro anos para conseguir me sustentar só com o canal, sem trabalhos por fora.

8. Não seguirás modismos – Se quiser escolher um tema, não vá atrás da moda, do que está dando audiência. Escolha um assunto que você goste e tenha facilidade para falar, assim as pessoas vão confiar no que você está fazendo. Até porque a moda é passageira, e quando mudar, você vai ficar pulando de assunto em assunto?

9. Não invejarás (talvez só um pouquinho) – Para quem está no meio, é natural ver com uma certa benevolência com quem está em cima, e com desdém quem está embaixo. Mas não adianta ficar chorando e querendo que o cara que está no alto te puxe, e nem ficar pisando em quem está embaixo pra tentar subir. O ideal é dar a mão para quem está do seu lado para crescer junto, encontrar alguém do seu próprio nível e criar uma relação horizontal de parceria que beneficie os dois.